Penteadeiras

Um móvel que não pode faltar num quarto de uma mulher é uma penteadeira. É o lugar onde nós nos maquiamos, e nada mais justo de ter esse cantinho com a sua cara, né? Juntei as imagens mais legais do We Heart It, pra vocês se inspirarem e deixar sua penteadeira com seu jeitinho.

large (1)

large (19)

Picture 354

large (17)

large (18)

large (21)

large (20)

large (23)

large (22)

penteadeira-de-makes

Então, é isso. Espero que tenha servido pra vocês terem ideias pra escolher a sua, ou organizar a que tem.

BJ

Um ano em Minas

Tive vontade de falar sobre isso várias vezes, mas não estava preparada, pois ainda não entendia o que era mudar de endereço. Que pra mim, era APENAS  mudar de endereço. 
Ao olhar o calendário hoje, pensei: Caraca, um ano já. Mas parece que vivi cinco anos em apenas um.
Mudar pra uma capital sozinha, sem nenhum parente perto parece ser um sonho para as meninas mais ou menos da minha idade. Mas não é tão fácil assim.

 Por um lado é estar feliz por poder viver a sua maneira, decorar sua casa do seu gosto, é pintar as paredes de uma casa estranha e vazia com seus sonhos. É ter oportunidade de fazer cursos legais, ir em shows grandes, de conhecer pessoas e lugares incríveis. Mas é entender o real sentido das palavras “saudade e família“. É andar no meio de uma multidão sem conhecer nenhum rosto, é ser cheia de solidão, apesar das novas amizades, é passar os almoços de domingo numa mesa pra dois, ao invés de uma casa cheia de familiares. É sentir saudade daquilo tudo que antes você odiava, é viver recordando pessoas e momentos legais em que passou com seus amigos mais importantes. 
 Ai você descobre que abraço virtual não tem graça. Você aprende que a melhor maneira de amadurecer é: amar, esquecer e crescer. 
Seus valores mudam, e você acaba se acostumando ao metrô absurdamente cheio.
Ainda é estranho os novos hábitos, ainda é estranho entender que saudade faz parte. Ainda não aprendi a cozinhar direito, mas já é natural pra mim ir direto na sessão de frios no supermercado. Ainda choro no chuveiro, ainda lembro do ultimo adeus do meu avô, e ainda pretendo realizar todos os sonhos que trouxe na mala quando vim pra cá. Ainda tento não chorar quando alguém de lá diz que tem saudade e me queria perto. Ainda sinto falta de comer acarajé, ainda tento ser uma pessoa madura, ainda tento ter responsabilidade, ainda tento ser serena ao falar sobre saudade, só o que não tento é parar de buscar o que eu almejo pra minha vida.